quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Síndrome do "E se..."

Muitas pessoas vivem presas ao passado não conseguindo viver o momento presente.

Quem não conhece aquela pessoa que diz o tempo todo ... e se eu tivesse feito isso... e se eu tivesse tentado aquilo… sempre na dúvida de como teria sido se tivesse feito diferente em um momento anterior.

 Quem não conhece aquela pessoa que diz o tempo todo ... e se eu tivesse feito isso... e se eu tivesse tentado aquilo… sempre na dúvida de como teria sido se tivesse feito diferente em um momento anterior.
Ou vivem se lamentando... ah, pra que que eu fui fazer isso, se eu não tivesse feito as coisas não estariam assim… as coisas seriam bem diferentes... sempre com culpa ou por não ter feito algo no passado.

Isso acontece porque a pessoa não aceita o resultado que ela teve, não aceita como as coisas estão no presente. Assim, ela busca uma explicação, uma justificativa, mas na verdade, o que ela consegue com isso é auto punição, é se punir pelas coisas não estarem como ela gostaria.


Depressão é estar presa no passado, não conseguir viver o presente...
Fonte da imagem: Google
E isso é um sinal de não aceitação de si mesma/mesmo como é  e dos recursos emocionais que dispõe para lidar com as situações. Assim, acaba deixando uma praga atrapalhar sua vida e sua felicidade.

A pessoa quer evitar críticas dos outros, quer evitar ser repreendida por não ter correspondido às expectativas do outro. Dessa forma, ela busca desesperadamente ter a aprovação do outro para se sentir aceita.

Como a pessoa não conseguiu fazer ou deixar de fazer o que é “certinho”, ela não aceita os resultados que ela vive agora, no momento presente… e ela não aceita os resultados por vergonha e raiva de si e por isso, fica se culpando.


A pessoa com depressão... ela não aceita os resultados por vergonha e raiva de si e por isso, fica se culpando.
Fonte da imagem: Google
E resumo, ficar pensando no passado, na dúvida ou na culpa por ter feito ou não feito algo é não aceitar sua vida como ela é hoje e é uma forma de se punir.

Uma forma de lidar com isso é mudar o disco, toda vez que vier esse pensamento ou que a língua coçar para falar, ou até se você já tiver falado esse "e se…", pense ou fale "eu fiz o meu melhor", "eu fiz o melhor que eu podia fazer", "o que estava ao meu alcance com os recursos que eu tinha disponíveis".


Para lidar com o viver no passado, na depressão, A ideia é reconstruir esse diálogo interior, modificar o que essas vozes internas te falam, pois, se você quer construir sua felicidade, vai precisar riscar esse "e se…" da sua vida!
Fonte da imagem: Google
A ideia é reconstruir esse diálogo interior, modificar o que essas vozes internas te falam, pois, se você quer construir sua felicidade, vai precisar riscar esse "e se…" da sua vida!

Que tal experimentar substituir o “e se…” pelo “foi o possível”? 

Cuida da sua felicidade, você merece e o mundo merece gente feliz!

Clique aqui e ouça o meu podcast sobre esse tema.

Abraço, Julini.

Julini Araujo Santos - Palestrante e Coach de felicidade

Psicóloga - UFBA  (CRP 03/06705) Whatsapp - Palestras
Sanitarista e Especialista em Saúde da Família pelo Programa de Residência Hólon/EBMSP/SESAB 
Especialista em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva - UFBA
Gestalt-terapêuta pelo Instituto de Gestalt-terapia da Bahia - IGTBa


*** Me acompanhe nas redes sociais ***

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, dúvidas e sugestões...

ARTIGOS