quinta-feira, 19 de julho de 2018

Presença influencia muito!

Muitas pessoas vivem uma vida que sentem que não são delas, é como se vissem a vida passar e fossem apenas expectadoras. Ouço muitos clientes de coaching e de terapia relatarem isso no início, dizem que fazem as coisas no automático e chegam a não sentir nada. 

Muitas pessoas vivem uma vida que sentem que não são delas, é como se vissem a vida passar e fossem apenas expectadoras. Ouço muitos clientes de coaching e de terapia relatarem isso no início, dizem que fazem as coisas no automático e chegam a não sentir nada.
Fonte da imagem: Google
Quem nunca, em algum momento, passou um dia inteiro sem fazer nada, ficou pulando de uma coisa para outra assistindo tv ao mesmo tempo olhando as redes sociais e conversando no whatsapp? Ou depois de sair de casa, ficou na dúvida se apagou a luz, fechou o gás, trancou a porta? Ou em uma conversa ficou na dúvida se respondeu à pessoa ou até ficou na dúvida se a pessoa perguntou?

Isso acontece com todo mundo! O problema é acontecer o tempo todo, é fazer as coisas no automático sempre e sempre ter a dúvida se fez ou não fez. Porque essa situação vai se generalizando para todas as áreas da vida da pessoa e vai afetando sua saúde, suas relações, seu trabalho, sua espiritualidade.


O problema é acontecer o tempo todo, é fazer as coisas no automático sempre e sempre ter a dúvida se fez ou não fez. Porque essa situação vai se generalizando para todas as áreas da vida da pessoa e vai afetando sua saúde, suas relações, seu trabalho, sua espiritualidade.
Fonte da imagem: Google
Nessa situação, a pessoa não se alimenta direito, não convive de verdade com as pessoas, não rende no trabalho, não lembra das ordens do chefe, já não consegue ter foco e prestar atenção em nada, vive dispersa, já não vai para a igreja, para o templo, para o centro espírita, já não reza mais… não consegue nem fazer coisas que gosta, não consegue alcançar metas, objetivos, realizar sonhos… e o tempo vai passando e já é outro ano… e... sente que não vive, que é levada pela vida (deixa a vida me levar, vida leva eu...), quando na verdade, vive uma vida sem sentido.

Isso acontece porque a pessoa que vive dessa forma vive desconectada do momento presente onde acontece a vida, ou ela vive presa no passado, lamentando o que fez ou o que não fez, o que fizeram ou não fizeram dela. Ou correndo atrás do futuro tentando antecipar os acontecimentos.

Nessa situação, a pessoa também se desconecta de si, então ela já não presta atenção no que sente, no que pensa, a mente é como se fosse uma rádio, onde toca de tudo. A pessoa já não presta atenção no que faz, nas pessoas ao seu redor e com isso pode até se colocar em risco.

Talvez, você tenha passado por alguma dessas situações, eu já passei, uma vez, quando eu era adolescente, eu estava indo para casa andando na calçada, a calça terminou e eu não percebi, fui andando pensando em não sei o quê e quando me dei conta, muitas pessoas na rua gritavam e acenavam desesperadas e eu sem entender, ai uma pessoa apontou para trás de mim e quando olhei para trás tinha um caminhão enorme e eu estava na frente dele andando devagar.

Foi exatamente a situação de “o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído”... pensa no susto que eu tomei quando eu olhei para trás… e o caminhão estava buzinando e eu não ouvi, ele estava tipo fungando no meu pescoço de tão perto que estava de mim e eu… não percebi.

Você viu como eu me coloquei em risco? Eu poderia ter sido atropelada, morta esmagada, virado pizza de asfalto! É desse tipo de coisa que eu estou falando, de chegar a um nível de desconexão com o momento presente, com o agora e consigo que pode gerar coisas desastrosas na nossa vida.

Para mudar essa situação é necessário viver em presença, no presente, no aqui e agora, viver cada momento através de um descondicionamento, des-automatização, começando a prestar atenção nas coisas, nas pessoas, em tudo ao seu redor.


Assim, quando você estiver fazendo uma coisa, comece a prestar atenção no que você está fazendo, no porque você está fazendo, em onde você está enquanto faz isso. Comece a prestar atenção no seu corpo, como você sente e principalmente, presta atenção na sua respiração.
Fonte da imagem: Google
Assim, quando você estiver fazendo uma coisa, comece a prestar atenção no que você está fazendo, no porque você está fazendo, em onde você está enquanto faz isso. Comece a prestar atenção no seu corpo, como você sente e principalmente, presta atenção na sua respiração.

De vez em quando, respira fundo e presta atenção no seu respirar. Faz isso com frequência, pois é a respiração que vai te ajudar a centrar-se em si mesma/mesmo e se conectar consigo e com o momento presente. 


Assim, você vai ter mais qualidade de presença e vai desenvolver atenção consciente, é o que em gestalt-terapia chamamos de awareness, que é estar percebendo bem mais daquilo que está acontecendo em sua volta e com você.
Fonte da imagem: Google
Assim, você vai ter mais qualidade de presença e vai desenvolver atenção consciente, é o que em gestalt-terapia chamamos de awareness, que é estar percebendo bem mais daquilo que está acontecendo em sua volta e com você.

Que tal experimentar estar mais presente na sua vida? Deixar de ser expectador/expectadora? 

Estar presente, em awareness, vai auxiliar na sua percepção de felicidade e perceber felicidade em si é sentir-se feliz. 

Exercitar com frequência estar presente na vida é construir felicidade e lembre-se, gente feliz muda o mundo!


Ouça o áudio que gravei sobre esse tema clicando no botão abaixo.


Abraço, Julini.

Julini Araujo Santos - Palestrante e Coach de felicidade

Psicóloga - UFBA  (CRP 03/06705) Whatsapp - Palestras
Sanitarista e Especialista em Saúde da Família pelo Programa de Residência Hólon/EBMSP/SESAB 
Especialista em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva - UFBA
Gestalt-terapêuta pelo Instituto de Gestalt-terapia da Bahia - IGTBa


*** Me acompanhe nas redes sociais ***

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, dúvidas e sugestões...

ARTIGOS