domingo, 15 de julho de 2018

A grama do vizinho é mais verde?

Quem nunca… achou que a vida de outra pessoa era mais fácil e melhor que a sua, ao se comparar? Até mesmo se comparando com o vizinho, a vizinha… a grama do outro parece sempre mais verde… parece!

Fonte da imagem: Getty Image

Isso acontece porque o tempo todo fazemos comparações da gente com os outros, e como não sabemos a verdade sobre a vida das pessoas, julgamos pelas aparências e acreditamos nessas aparências, mas, nunca sabemos o que se passa na vida do outro, a não ser que a pessoa nos conte. 

O problema é que quando você se compara com os outros, você deixa de ter foco em você mesma/mesmo e passa a ter o outro como padrão ideal, superior e assim se inferioriza, no caso de se comparar por baixo. Embora também ocorra a comparação em que a pessoa se coloca acima do outro, se sentido superior e melhor, a comparação mais recorrente para a maioria das pessoas é se colocando abaixo do outro.

Segundo um Instituto de Medicina Comportamental dos EUA:

Pessoas que se comparam com as outras são as que mais se sentem insatisfeitas com a própria vida.
Por isso, para construir a própria felicidade é necessário entender que se comparar com os outros atrapalha a sua felicidade. Pois, cada pessoa é única e não tem comparação com nada nem ninguém, cada pessoa vive uma realidade diferente, tem responsabilidades e compromissos diferentes, umas tem mais privilégios que as outras. 

Fonte da imagem: Google
É claro que, em questões de desigualdades e injustiças sociais, a conversa é outra e as comparações são necessárias para serem criadas oportunidades para aqueles que tem menos condições, menos privilégios.

Se isso acontece com você, se você deseja construir sua felicidade, que tal experimentar parar de se comparar com as outras pessoas? Você pode começar a mudar o que você diz para si mesma/mesmo. Para isso, toda vez que vier aquele pensamento de comparação: … "ah mas eu não posso isso porque não sou assim como fulana", "eu não consigo aquilo porque não sou igual a fulano"… Observe, respire e faça o seguinte exercício, diga para você: eu não sei como é de verdade a vida de fulano e fulana, eu sou eu, tenho minha vida, tenho minha história e minhas escolhas, não preciso ser igual a ninguém! Já é um bom trabalho ser eu!

Fonte da imagem: Google
Sim, você vai precisar falar consigo mesma/mesmo, parece maluquice, mas não é e eu vou lhe explicar no próximo artigo porque esse exercício funciona. 

Lembre-se, você é incomparável! A grama do vizinho só parece mais verde, já imaginou como seria se vocês trocassem de lugar? Só ele sabe como é estar na vida dele e só você sabe como é estar na sua vida. Então, foca no que importa! Ninguém melhor que você mesma/mesmo para ser o foco da sua atenção! Assim, você vai sentir muito mais satisfação na sua vida.


Você merece ser feliz! Por isso, cuide da sua felicidade.

Ao cuidar da sua felicidade você muda e o mundo será um lugar melhor para todas e todos.

Ouça o áudio que gravei sobre esse tema clicando no botão abaixo.



Abraço, Julini.

Julini Araujo Santos - Palestrante e Coach de felicidade

Psicóloga - UFBA  (CRP 03/06705) Whatsapp - Palestras
Sanitarista e Especialista em Saúde da Família pelo Programa de Residência Hólon/EBMSP/SESAB 
Especialista em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva - UFBA
Gestalt-terapêuta pelo Instituto de Gestalt-terapia da Bahia - IGTBa


*** Me acompanhe nas redes sociais ***

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, dúvidas e sugestões...

ARTIGOS