quinta-feira, 14 de junho de 2018

Já é tarde?

Muitos adultos, insatisfeitos com a própria vida ou até infelizes, acreditam que é tarde demais para mudar esse cenário em que vivem. Quem nunca falou ou ouviu alguém falar… eu queria isso... eu queria fazer aquilo... eu sempre sonhei com isso… ah, mas já é tarde, eu já estou velha/velho para isso, já passei da idade, independente da idade que tinha. 

É tarde para estuda, dançar, realizar sonhos?
Fonte da imagem: Google
Isso acontece porque aprendemos que existe idade para tudo, momento certo para cada coisa. Embora nem sempre tenha sido assim, há muito muito tempo atrás, não existia divisão entre as idades, não existia a ideia de infância, nem a ideia de adolescência… o bebe começou a andar e falar já era considerado um mini adulto, chegou nos 12 anos já era visto como adulto e podia casar e fazer sexo, claro, no casamento.

Nos costumes passados, não tinha essa coisa de criança não pode trabalhar, adolescente não pode casar e fazer sexo, porque não existia essa noção de divisão de idades, de faixas etárias.  

Um dado alarmante que Leo Huberman conta em seu livro “História da riqueza do homem” é que as crianças geralmente trabalhavam em casa complementando o trabalho dos pais. 

Revoluçao industrial, trabalho infantil
Fonte da imagem: Google
Nos EUA, em 1934 foi realizada uma pesquisa nas fábricas e foi constatado que tinham crianças a partir dos dois anos de idade trabalhando 15 horas por dia. Nessa época, o índice de adoecimento e morte de crianças pelo excesso de trabalho e péssimas condições era altíssimo.

O tempo e a modernização da cultura trouxe a divisão entre idades e aquilo que uma criança, um adolescente pode ou não fazer ou ser submetido.

A partir disso, veio a noção de que criança não pode deve trabalhar e sim brincar e estudar para melhor se desenvolver. O adolescente deve escolher sua profissão e dar continuidade aos estudos para ter seu lugar no mercado de trabalho e ser bem sucedido e para depois de se formar e começar a trabalhar, casar-se e ter filhos.

Olha, que vida bonita e organizada dessas criaturas, não é? Tudo cronometrado e certinho… mas, é interessante sempre fazermos um contraponto, lembrar que essa realidade de brincar e estudar não é a realidade de muitas crianças nesse nosso Brasil cheio de desigualdades e que escolher a profissão não é uma opção para muitos adolescentes. 

Nao existe idade para ser feliz
Fonte da imagem: Google
Hoje, existe toda uma cobrança como relação à idade e as cobranças são: se formar até os 20 e poucos, se casar antes dos trinta, ter filho antes dos quarenta… isso é o que ouço no consultório.

Mas, é importante ressaltar que não existe idade certa para nada. Essas divisões de idade citadas anteriormente e as cobranças para cada uma dessas faixas etárias são convenções sociais, fora criadas na convivência social. 

Assim, cada pessoa tem seu tempo para cada coisa. Nunca é tarde para tentar algo, nunca é tarde para começar algo. Você não está velha/velho demais para nada. 

Idosos, estatuto do idoso, felicidade na vida, felicidade no amor, felicidade em qualquer idade

Toda vez que vier esse pensamento de não poder fazer algo por causa da idade, lembre-se que isso é uma crença que você aprendeu e tomou como verdade, mas, pode começar a pensar diferente. 

Abraço, Julini.

Julini Araujo Santos - Palestrante e Coach de felicidade

Psicóloga - UFBA  (CRP 03/06705) Whatsapp - Palestras
Sanitarista e Especialista em Saúde da Família pelo Programa de Residência Hólon/EBMSP/SESAB 
Especialista em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva - UFBA
Gestalt-terapêuta pelo Instituto de Gestalt-terapia da Bahia - IGTBa


*** Me acompanhe nas redes sociais ***

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, dúvidas e sugestões...

ARTIGOS